//O ESTADO TERÁ PRAZER EM TE PROTEGER DA LIBERDADE DE CONSCIÊNCIA – Joshua Bennett

O ESTADO TERÁ PRAZER EM TE PROTEGER DA LIBERDADE DE CONSCIÊNCIA

    – Joshua Bennett –   

  Por centenas de anos as culturas ocidentais têm refinado aquilo que é conhecido como Liberdade de Consciência. Uma das consequências deste refinamento é a Liberdade de Expressão, uma liberdade que é relativamente nova na experiência política humana. Não faz muito tempo que criticar um governo, por exemplo, poderia fazer você ser assassinado por ele. O mero ato de falar abertamente ou expressar pensamentos críticos da religião estatal significava ser torturado ou morto. Mas avançamos através dos tempos para entender que livre pensamento e palavras críticas são algo que pessoas livres devem proteger e encorajar. Thomas Jefferson chegou ao ponto de dizer que reprimir a Liberdade de Consciência era um “Pecado contra Deus”.

  No entanto, suprimir a Liberdade de Consciência era e é vista pelo estado como autopreservação.

  Hoje em dia temos acesso a informação que apenas 20 anos atrás era coisa de outro mundo. Qualquer pessoa com um telefone celular pode postar um discurso ou compartilhar informações com literalmente o mundo todo. Por causa deste acesso a informação as pessoas recebem as informações da mídia mainstream influenciada pelo estado com desconfiança, ou desacreditam imediatamente delas e, geralmente, com razão. Isto é perigoso para a máquina de propaganda estatal, mas o estado sabe que ainda mais perigoso que isso seria perceberem que o estado está suprimindo isto. Estando à esquerda ou à direita do espectro político, todas as pessoas tendem a, justamente, valorizar aquilo que chamamos hoje de “Livre Expressão”.

  Então o que o estado faz? Faz o que o estado sempre faz. Faz as pessoas temerem mais a Liberdade do que ele mesmo.

  Ao invés de imediatamente fazer leis suprimindo e/ou silenciando a livre expressão, o estado manipula os medos políticos que as pessoas têm para fazer elas se sentirem ameaçadas pelo que elas possam achar que seja um discurso contrário a suas crenças. E o medo que o estado disseminou entre discursos políticos opostos resultou em algo que não muito tempo atrás seria ridicularizado como uma superstição infantil:

  “Palavras podem te machucar. Pessoas que discordam de você querem te machucar. Você precisa ter seus sentimentos protegidos contra toda agressão. Discursos ou pensamentos contrários são violência contra você.”

  Ao invés de usar opiniões contrárias para refinar crenças e convicções, e encorajar discussões para a melhoria da sociedade em geral, não estão apenas crescendo para temer Pensamentos Opostos, querem ser protegidos deles.

  Insira o estado.

  Desde legislar pronomes a ameaças agressivas de prisão por pensamentos incorretos, o estado avançou contra a Liberdade de Consciência para suprimir o não conformismo. E alguns aplaudem este comportamento do estado, visto como uma proteção contra todo mal. Outros veem isto como um escudo para promover sua própria agenda política livre de oposição. Mas, como Bastiat explicou, enquanto todos querem viver a custa do estado, o estado vive a custa de todos. As ações ou pensamentos políticos de ninguém estão a salvo desta agressão do estado. Enquanto que no curto prazo o estado escolhe os vencedores e perdedores, é apenas uma questão de tempo para que ele silencie a todos.

  Antes de aplaudir o estado por destruir a Liberdade de Consciência de seus opositores, lembre-se que quando sua oposição se for você estará sozinho e ninguém estará lá quando o estado o colocar na prisão que você construiu.

*Artigo cedido polo Instituto Rothbard
2018-09-25T03:46:05+00:00

One Comment

  1. Martín Rodríguez Paradela October 30, 2018 at 9:15 pm - Reply

    Moi interesante e perturbador, o estado aparentemente protéxenos de nós mesmos pero eu pregúntome se esta será a súa verdadeira intención…
    Protexía a igrexa aos cristianos ao torturalos para sacar unha confesión de pecado e así obrigarlles a redimirse ante Deus? Esto era o modo no que a Inquisición se vendía daquelas. Eu penso que estos métodos eran máis ben utilizados para infundir o medo e conservar o poder e atopo unha escalofriante similitude cos estados actuais, a Igrexa vai caendo pero outro poder surge con similar modus operandi: proporciona unha moral, cobra impostos, imparte educación, protéxenos de nos mesmos… En última instancia: oprime a nosa liberdade!!

Leave A Comment